domingo, 7 de janeiro de 2018

A vida com 3 filhos

Gêmeos e depois uma menina, nossa vida mudou muito, são 3 atenções diferentes em casa. Nosso tempo com os filhos é intenso, afinal realmente cuidamos dos 3, não temos babá.



O ciume da irmã mais nova relativamente demorou a chegar nos meninos, mas, do final de 2016 para cá (quando Helena completou 6 meses e começou a ser dona do território também), principalmente para Guilherme chegou com tudo e está sendo um desafio enorme para nós, porque é um misto de muito amor, muito carinho, proteção e ciúmes. Os dois brincam muito juntos, quando estão juntos temos que ter cuidado dobrado, pois são os parceiros da bagunça e se o Gui tem personalidade forte, Helena tem três vezes mais.
Nessa história o Bernardo é o mais neutro, porque gosta muito de games e tal, mas, se incomoda quando mexem nas brincadeiras dele, nas preciosidades dele. E aí é aquela confusão.

Esse equilíbrio é muito difícil quando se têm uma bebê que precisa de muito mais cuidados e atenção e a presença dela está refletindo muito no comportamento de Guilherme, que necessita chamar atenção diversas vezes, óbvio que o chamar atenção dele é aprontando e fazendo o que não deve, disputando mesmo a gente com a irmã.

Essa tem sido uma rotina desgastante, e por isso precisamos de ajuda de profissionais, da escola e da família. Tem dias que achamos que não daremos conta. Tem dias que rola até choro da mãe (às escondidas). E tem dias que a vontade é de sair correndo e deixar ver no que vai dar. Só que logo o juízo volta pro lugar e ficamos buscando meios de não errarmos tanto.
Estamos na fase do reconhecimento da necessidade de mudarmos nosso comportamento (quase 1 ano já nessa)para que eles também se modifiquem, isso não é tarefa fácil porque além de pais, somos profissionais, somos marido e esposa, nos estressamos com tantas obrigações de contas a pagar e a grana ultimamente anda bem curta. Então meus amigos, o dia a dia é pesado.
Tivemos algumas orientações e a prática do momento está sendo a de lembrar a Gui que ele não é um bebê, que ele não precisa aprontar como Helena, que ele é um Menino Grande... Ele sabe, mas percebe que a irmã tem mais atenção e acaba aprontando para ter mais que ela. Por isso a gente meio que pira de vez em quando (risos).
Enfim, continuamos aqui em nosso desafio, apesar de tudo Helena preencheu ainda mais nossas vidas, aqui tem muito amor e com ele a gente vai vencendo as nossas dificuldades.
E vocês, como lidam com uma galera assim?!
Um abraço

Murillo e Alynne


0 comentários:

Postar um comentário