quarta-feira, 3 de maio de 2017

O tempo, o meu tempo.

Nós temos o tempo de aprendizagem, o tempo do entendimento e o de execução, Sempre criamos a expectativa de que esta sequência aconteça de forma harmoniosa, mas onde fica o inesperado e o toque de surpresa do mundo?
Sempre que propomos uma tarefa para Guilherme esperamos que o comportamento dele seja o comum, damos o comando, ele processa e depois executa. Treinamos para que ele desempenhe as Atividade da Vida Diária (sim a famosa AVD que os terapeutas tanto se referem), tarefas como: se vestir, se despir, fazer xixi, tomar banho, lavar as mãos, escovar os dentes (escovar ele não gosta muito), guardar a roupa, pegar a água e outras, ele faz muito bem e sozinho, muito raramente auxiliamos nestas tarefas (escovar os dentes eu auxilio pq ele não tem idade para executar corretamente a higiene).
Mas o Guigui costuma ir além de simples comandos e sempre vai além do que foi solicitado, recentemente fui devolver umas chaves ao vizinho:
Parei o carro na frente da casa do vizinho,

Pedi a Gui "Vai até a porta da casa do Tio, chama ele bem alto e entrega as chaves pra ele";
A casa tem 2 portas de entrada ele foi para a principal, mas lembrou no meio do caminho que pegamos a chave na outra porta, então ele foi para a outra;
Não ouvi ele chamar o Tio;
Tentei sair do carro para ver, mas resolvi esperar mais;
Demorou então sai do carro;
A porta de repente Abriu;
E ao olhar para Gui, vi que estava tentando abrir a porta com cada uma das chaves do chaveiro que ele estava a entregar para o Tio;
O Tio abriu a porta para ver que barulho era aquele na fechadura;
Ele entregou as chaves e voltou todo sorridente pra mim.

Neste dia voltei para nossa casa pensando o quanto sou um "idiota", eu pedi para uma criança de 5 anos chamar um Tio e entregar as chaves, se fosse eu faria essa sequência, porque sei que ela iria funcionar, mas Gui foi além, experimentou uma nova forma de entregar a chaves, abrindo a porta com as chaves que tinha e fazendo uma surpresa.

Será que temos que executar os comandos exatamente como são ditos? Do jeito que ele experimentou fazer chegou ao mesmo resultado.

Agora eu tenho uma nova forma de agir, aguardo um pouco mais o tempo de execução de Gui, porque sei que ele não vai fazer da forma que pedi, mas do jeito que ele decide fazer, do jeito e no tempo dele.



Um comentário:

  1. E assim levamos o ensinamento do pequeno Gui para nossa vida diária!! Buscando novos caminhos do que o habitual e mecânico...

    ResponderExcluir