sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Reflexo, Reflexão!!!!

Olá amiguinhos, tudo bem?! Saudades de todos vocês. 

Esse post tem um quê de: como estamos contribuindo para que nossos filhos sejam adultos que respeitem as diferenças? Vejam o que aconteceu conosco:
Estávamos num certo parquinho com os gêmeos e mais três crianças brincavam ali. Duas dessas crianças de pronto se aproximaram de Bernardo e Guilherme e começaram a interagir, trocaram brinquedos, conversaram. Um dos garotos, o menorzinho que deveria ter a idade dos gêmeos, olhou pro Gui e disse "não quero brincar com ele, ele é especial, não gosto, vamos sair daqui". Os outros disseram ao pequeno "eles são nossos amigos, o Gui é nosso amigo e ele sabe brincar".
A mãe do garotinho estava vendo tudo e não interviu. Eu, mãe dos gêmeos, mãe do Gui, não me contive e docemente me aproximei do garotinho e falei "oi menininho, por que você não quer brincar com o Guilherme? O garoto disse "ele é especial, não gosto dele, não quero falar com você, pára tia".
Realmente parei, apenas consegui dizer para o garotinho que ele também é um menino muito especial, ele irritado repetia que não queria falar comigo.

Com o coração bem apertado, convenci os gêmeos a irmos para casa, estava na hora do jantar. Em casa, sem que os pequenos vissem, chorei horrores, foi a primeira experiência de recusa ao meu filho que na sua pureza não percebeu que aquele menininho de quem ele queria se aproximar estava negando-o.
Após enxugar as lágrimas e respirar fundo, fui repensar o fato e senti pena daquela criança, porque aquele comportamento não pode ter surgido da cabecinha dele e caso as coisas não se modifiquem ele vai crescer assim, intolerante? 
Especialistas dizem que as crianças reproduzem o que nós adultos fazemos, que enquanto pais somos reflexos. 
Como queremos essa imagem refletida, o que esperamos para o futuro, que tipo de ser humano estamos ajudando a formar?
Um beijo para vocês, até breve!

2 comentários:

  1. Gostei do seu post. Não fico mais sofrendo pelas outras crianças que os pais não sabem educar, hoje (posso estar sendo egoista) me preocupo com as reaçoes do meu filho.nesse caso específico quem perdeu a oportunidade de brincar e receber amor verdadeiro foi o menininho e como seu filho não percebeu a recusa eu deixaria pra lá. Mas caso ele tivesse percebido eu aproveitaria a situação para explicar que as pessoas são diferentes e existem pessoas boas e pessoas ruins e que não podemos brincar com todas as pessoas. Reforçaria ainda que "você é uma criança pura boa meu filho!"
    Não luto mais com as outras pessoas, com os preconceitos, tento reforçar os conceitos positivos. E assim vamos vivendo normalmente!!!! Felicidades para todos e principalmente para os gêmeos

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente, essa é uma situação muito recorrente! É necessário que os pais conscientizem seus filhos... Por que não levá-los para um evento na APAE ou mesmo para visitar um orfanato de pessoas especiais?
    Parabéns pelo Blog!
    Talita
    http://diariodainclusaosocial.com/

    ResponderExcluir