quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Escola, nova fase!

Enfim! Chegamos no momento de maior dúvida desde então: A fase escolar!
Isso sim é um grande desafio comum a todos os pais, mas bem preocupante para nós. As dúvidas não param de surgir, quais são as necessidades de meus filhos nesse momento? qual a melhor escola? A escola está preparada para meu filho? Meu filho está preparado para esse desafio?



Os questionamentos são infinitos, mas como temos um filho com deficiência temos que procurar uma escola que seja adaptada para as necessidades dele. No mundo ideal as escolas são adaptadas e trabalham inclusão e tem material específico para nossos filhos com deficiência. No mundo real é bem diferente, fomos bem acolhidos pela maioria das escolas, mas percebemos que muitas delas nunca tiveram uma criança com down na sala de aula, acho que no mundo em que vivemos não posso colocar meu filho em um local que nunca trabalhou com educação inclusiva, ou que ao menos nunca buscou aprender a trabalhar com tal. Precisamos de uma referência, uma "perspectiva" de que têm que dar certo.

"Temos gêmeos, Guilherme e Bernardo Guilherme tem Down", era nossa frase de início em todas as escolas que visitamos, afinal acreditamos que paradigmas, preconceitos, precisam ser vencidos e nada como sermos extremamente transparentes e naturais, temos que iniciar a conversa sendo verdadeiros com a escola que tem obrigação de estar preparada para a inclusão. Mas é nesse momento que percebemos o que é um projeto pedagógico de inclusão de verdade e o que é "BláBláBlá" da escola.

As escolas que foram receptivas e que não se espantaram com a nossa descrição foram elencadas para verificarmos os prós e contras de cada uma. Foi uma escolha difícil, algumas escolas decepcionaram, outras foram excelentes. Achamos a melhor? Acredito que neste momento ela é a melhor, com certeza a melhor escolha. Mas temos muito a aprender e a discutir sobre o processo de educação de nossos filhos. Por isso acho muito importante os pais poderem opinar na instituição, espero ter esse respaldo.
Nossa maior preocupação nesse momento é a tendência que todas as pessoas tem na convivência com uma pessoa com down: a infantilização. Isso muito nos preocupa e temos que ser rígidos para que o Guilherme cresça sabendo que está crescendo, que é diferente e que ser diferente é normal, que se sinta incluído no mundo e não protegido dele.

Vamos lá, em busca da melhor educação, afinal é o que deixamos de melhor e mais rico para nossos filhos.



Murillo Oliveira
twitter.com/meufilhotemdown
twitter.com/tio_lillo

0 comentários:

Postar um comentário