domingo, 20 de julho de 2014

Hora de Dormir!


Lembro-me bem dos primeiros dias com os gêmeos em casa quando a conversa das pessoas era: menina, não acredito que vocês os ninam, coloquem eles nos bercinhos e deixe-os lá para acostumarem-se a dormir sozinhos.


Essas palavras entravam e saíam, porque sempre pensei que essa fase seria tão rápida, que meus dias seriam tão intensos, que quando eu menos esperasse os meus bebezinhos nem iriam mais querer ser ninados e como pequenos homenzinhos iriam para suas caminhas e a nós seria permitido apenas deitar ao lado deles, fazer carinho e pronto. E é exatamente assim que está acontecendo.
O Bernardo quando começa a ter soninho eu o pego no colo e vou para o quarto, ninando, dando cheirinho, logo ele diz "mamãe quelo meu castelo" - é assim que eles chamam o berço, afinal príncipes tem castelos (risos). Daí pega o coelhinho, abraça e dorme.
Os meninos estão com quase 3 aninhos, estão pesados, as minhas costas sentem pra caramba, mas sei que vou ter saudades de cada vértebra me incomodando, por isso insisto num bom colinho.
O Guilherme vem agindo do mesmo jeitinho que o Bernardo, ele gosta mais de colo, em todos os momentos, mas quando bate o soninho colocamos ele no berço, ele se agarra na ovelhinha e dorme ou pede para deitarmos com ele na cama, daí depois de sermos afagados por suas deliciosas mãozinhas ele dorme, sim, é o Gui quem faz o carinho. Murillo a essa altura sempre dorme! Quando ele diz: Vida, vou colocar os meninos para dormir. Pronto, já sei que ele dorme primeiro.
Mas enfim, toda essa escrita é para dizer apenas que logo é chegada a fase de que o nosso colo quase não cabe mais para eles, que a tal independência começa a brotar, que cada etapa do desenvolvimento da criança deve ser muito bem aproveitada por nós papais e mamães, porque o tempo, o tempo não pára.
Vamos ninar, vamos lamber a cria, porque saudade do que foi feito é muito bom sentir, mas saudade daquilo que se quis fazer e não realizou é perda irreparável.
Um beijo grande!

Por Alynne França



Um comentário: