sábado, 27 de outubro de 2012

Jovens Guerreiros


Hoje no noticiário local os 20 jovens sergipanos que participaram das Paraolimpíadas apareceram contando seus feitos e apresentando suas medalhas. Esses jovens são pessoas com deficiência física, visual e mental.



Parabéns a todos eles, exemplos de superação e acreditação, agora, algo além do quadro de medalhas e da força de vontade daqueles meninos e meninas me chamou atenção. Uma mãe que disse o seguinte: "tô muito feliz né, porque mesmo ele sendo assim ganhou né".

Gente, estou escrevendo e quero muito ver a opinião de vocês, porque posso estar sendo muito dura ou apenas querendo influenciar as pessoas a acreditarem no outro. A fala, o jeito como essa mãe se referiu ao filho me deixou um pouco triste, tudo bem que as vezes por ignorância e não falo isso pejorativamente, digo ignorância por não conhecer e acreditar na capacidade das pessoas.

Penso que a própria educação escolar pode ajudar e ser responsável por modificar a postura desses pais em relação aos seus filhos. Posso estar viajando, mas como disse em Posts anteriores, como "As palavras tem poder" e "Efeito D", no mínimo o respeito deve ser prioridade e se esse posicionamento não começar nas relações familiares, na rua será difícil acontecer.

Não estou criticando a mãe do para-atleta apenas me incomodou o jeito como ela falou do filho, talvez ela nem seja assim, talvez não o trate assim e foi apenas uma fala intimidada pelas câmeras, mas esse posicionamento pode reproduzido por aí e prefiro combater a aceitar, afinal, falamos em igualdade, equidade e inclusão; e em nossas ações, muitas vezes, fazemos o contrário.


Acredito que vale a pena pensarmos.

Um beijo,

Alynne

2 comentários:

  1. "Mesmo ele sendo assim..." Assim como? batalhador, lutador, perseverante??? Talvez ele até não saiba o significado dessas palavras dificeis, mas ELE O É!! Ele é assim, GIGANTE, como todos nós devemos ser!

    ResponderExcluir