sábado, 7 de julho de 2012

Tenho 13 anos

Criança é tudo de bom mesmo, atrai muita gente com energia boa. Estávamos numa festa e é impressionante como os gêmeos prestam atenção em tudo e em todos, e falando em gêmeos, é por isso também que os meninos atraem a atenção, logo logo surgem pessoas querendo pegá-los no colo e nós numa boa permitimos, claro que de olhos bem atentos. O Bernardo fez logo amizade com um garotinho de 13 anos muito fofo e inteligente que em sua pequenez me soltou o seguinte texto: "essa moça loira que falou com a senhora (vi o quanto estou ficando velha, rsrsrsrs) só não falou comigo porque sou preto,mas eu não me importo não, levo a vida numa boa". Putz, o garoto me pegou de surpresa, fiquei com cara de paisagem olhando para ele que estava brincando com um dos meus filhos, mas aí aproveitei a deixa e deslanchamos um papo super legal sobre formas de preconceito. Aí antes que eu começasse a falar qualquer coisa a mais ele disse: "seus filhos são lindos e vi que um deles é diferente como eu, ensina para ele que ser diferente é muito bom porque a gente acaba encontrando pessoas legais".

Amigos, estou aqui resumindo uma conversa e vejam a lição que aprendi e repasso aqui. O garoto é negro, tem 13 anos e em algum momento da vida anterior a nossa conversa sofreu preconceito e já trata isso com uma sabedoria invejável, fiquei fã dele e mais uma vez aprendi que qualquer que seja a diferença, certas pessoas terão um certo olhar e para esses olhares ao invés de darmos as costas devemos encarar e erguer a cabeça e que atire a primeira pedra aquele que for suficiente em tudo.

0 comentários:

Postar um comentário