segunda-feira, 2 de julho de 2012

Fascínio das Telas

Ouvi em um podcast que não se deve apresentar dispositivos de telas a criança até os 2 anos de idade. Eles justificaram que a criança até essa idade precisa interagir com pessoas e a tv, tablet ou celular iria tirar a atenção e ela poderia, futuramente, se tornar retraída, tímida e com dificuldade de relacionamento com pessoas


Juro que tentei não apresentar, mas com gêmeos em casa precisávamos de uma distração para um, enquanto cuidávamos do outro, ou ate mesmo para tomar cafe da manhã, então os DVDs da "Galinha Pintadinha" e "Xuxa só pra baixinhos" foram escolhidos.

Mesmo assim eles ficam pouco na frente da tv (somente de manhã cedo), no tablet brincam com
GarageBand (Bê adora a guitarra, Gui gosta do teclado) e o celular é o mordedor dos 2.
Lembrei deste podcast e fiquei um pouco preocupado, coisa de pai que quer o melhor para os filhos.
Bernardo vê a tv, mas nao se interessa tanto quanto Guilherme.

O Gui tem uma coisa muito peculiar, quando falamos com ele, ele olha nos olhos bem profundamente, prestando atenção em cada palavra e gesto que fazemos. Ele aprende fácil também, foi o primeiro a balbuciar silabas, acorda falando PAPAPAPAPA, é lindo demais. É perceptível que ele é um bom ouvinte e que é muito atento, talvez seja por isso que ele gosta de ver tv.

Mas pai e mãe sempre se preocupa, Guilherme precisa de mais estímulos e a tv nao é estimulo que ele precisa, será que é melhor não deixar ele ver tv? Onde está esse manual de cuidados de uma criança com down nessas horas?

Se estou sem o manual, vou fazer da forma que entendo, tudo em excesso é prejudicial, deixo como está mesmo, afinal assistem esses DVDs somente pela manhã.

Os estímulos já estão sendo ofertados a Gui. Privar de assistir um DVD com o irmão poderia ser ruim também? Afinal é mais uma oportunidade deles fazerem uma atividade juntos e eles adoram!

Esse "bolo" não tem receita, mas com bom senso e muito amor ele vai crescer lindo e fofinho.






0 comentários:

Postar um comentário